sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

O amor

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Feliz Natal!


Cidades, casas e ruas enfeitadas nos lembra que o mês de dezembro é confraternização e união em torno de sentimentos de amizade e fraternidade.
Vamos aproveitar a oportunidade e viver este clima que paira no ar, reunindo familiares, amigos e oferecendo aquele abraço que ainda não pudemos dar.
O Viajante deseja que este Natal seja coroado de muita saúde. E que nossos desejos de paz e felicidade ajudem a iluminar a Terra.
A melhor mensagem de Natal é aquela que sai dos nossos corações e aquece os corações daqueles que compartilham da nossa caminhada.
Bom Natal,
Um Feliz Natal,
Muito Amor e Paz para você,
Para você.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Egoísmo


"A desilusão chega somente para aqueles que perdem sua postura. O egoísmo é o que mais faz as pessoas esquecerem a Verdade fundamental. Uma vez que o ego domina o ser humano, ele se desvia do ideal e se precipita do topo da escada, caindo rapidamente, degrau por degrau, até o fundo. O egoísmo produz a fragmentação, o ódio e o apego."

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

A dádiva mais sagrada


Uma máxima popular aconselha-nos: “É melhor ter amado e perdido do que não ter jamais amado”. É muito bom este conselho, não resta dúvida. Mas é só meia verdade. Se você está amando, não tem como perder. A recompensa do amor não está na resposta que você provoca, mas na alegria de manifestar a dádiva mais sagrada que você poderia oferecer – seu espírito. Se você está amando, está ganhando.
O único modo de perder é reter o amor. Reter o amor e não fazê-lo chegar a quem amamos, ou ao mundo, é a maior mentira com que podemos nos ferir. Uma vez que a nossa natureza é puro amor, negamos a nossa identidade básica quando nos recusamos a oferecê-lo. Quando o guardamos para nós, perdemos a maior e mais plena alegria de viver. Mas quando o damos, cumprimos o nosso propósito aqui na Terra.
Quando observamos a vida das pessoas felizes, enxergamos que todas elas têm algo em comum: elas optaram por dar continuamente seu amor. São pessoas que não permitem às circunstâncias externas ditar se manterão ou não seu coração aberto. Elas criam as circunstâncias por meio da generosidade de espírito.
Você e eu temos a capacidade de doar amor em lugar de exigi-lo. Somos diariamente convidados a dar e receber mais amor do que teríamos achado possível. E todos os dias encontramos uma força ainda maior em nosso coração, na medida em que nos dispomos a dar a mão ao amor e deixar que sua suave orientação ilumine o nosso caminho. Nunca deixe de amar. O amor é única salvação e a única esperança de encontrar a verdadeira paz.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Emoções

São cinco as emoções e a nossa vida gira em torno delas, a saber: alegria, medo, raiva, tristeza e afeto. Elas acarretam imediatamente reações de luta ou de fuga e modificam totalmente nosso corpo, como reações à estas. Hoje, sabemos que para termos sucesso e sermos bem sucedidos devemos dominar as emoções dentro da razão, tornando-se um aprendizado quando conseguimos controlá-la, como por exemplo, com relação à raiva, não deixando-a descambar para a violência na hora em que a sentimos. Para isso temos que nos conhecer para adquirirmos o treinamento adequado, entendendo as nuances destas e como dominá-las e usá-las da melhor maneira. Cada um de nós já nasce com uma programação genética das emoções e elas são excludentes, pois quando sentimos raiva, por exemplo, não sentimos medo. Elas são detonadas uma de cada vez. A raiva induz os movimentos de ataque ou defesa. O medo tem movimentos de evitação ou fuga. A alegria e o afeto tem movimentos aproximativos, enquanto a tristeza induz a um cessar de movimento. O medo, a raiva e a tristeza são emoções desprazerosas, enquanto que a alegria e o afeto são prazerosas, sendo que a alegria expande o ego e o afeto leva ao prazer e ao amor e expande a alma. O medo é necessário para nos protegermos e a raiva pode ser uma energia positiva, quando é usado como reação e defesa com controle. Finalizando, todos nós nascemos com elas e a maneira como a controlamos é que vai mostrar como somos, como interagimos com o mundo e o ambiente a nossa volta, e como vamos interagir com as outras pessoas.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

S.O.S. Santa Catarina. Saiba como ajudar



Leitores, interrompemos nossa postagem normal para uma corrente de ajuda aos desabrigados da tragédia causada pelas chuvas no estado de Santa Catarina. Listamos abaixo as formas de contribuição. Seja através de donativos, dinheiro ou trabalho voluntário.
A lista é a seguinte, por ordem de importância:

Água potável
Alimentos não perecíveis.
Material de higiene pessoal, como escovas e pasta de dente, sabonetes, absorventes femininos e fraldas descartáveis.
Produtos de limpeza

Contatos em cada estado
- CEDEC/RS - Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Rio Grande do Sul
www.defesacivil.rs.gov.br
Fone: (51) 3210 4219
- DEDC/SC - Diretoria Estadual de Defesa Civil de Santa Catarina
www.defesacivil.sc.gov.br
Fone: (48) 4009 9816
- CEDEC/PR - Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Paraná
www.pr.gov.br/defesacivil
- SEDEC/RJ - Secretaria de Estado da Defesa Civil do Rio de Janeiro
www.defesacivil.rj.gov.br
- CEDEC/SP - Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de São Paulo
www.defesacivil.sp.gov.br
Fone: (11) 2193-8888
Coordenadoria Municipal de Defesa Civil - São Paulo - Telefone: 199Cruz Vermelha - São Paulo - Telefone: 11-5056-8665 / 5056-8664 / 5056-8667
- CEDEC/MG - Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais
www.defesacivil.mg.gov.br
Fone: (31) 3236-2111
- CEDEC/ES - Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Espírito Santo
www.defesacivil.es.gov.br
Fone: (27) 3137-4441
- SIDEC/DF - Sistema de Defesa Civil do Distrito Federal
www.defesacivil.df.gov.br
- CEDEC/MS - Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Mato Grosso do Sulwww.defesacivil.ms.gov.br
Fone: (67) 3318.1078

Para quem preferir ajudar em dinheiro, a Defesa Civil de Santa Catarina abriu contas bancárias para receber doações.
As contas são:

- Banco do BrasilAgência: 3582-3Conta corrente: 80.000-7
- BescAgência: 068-0Conta Corrente: 80.000-0
- Caixa Econômica FederalAgência: 1877operação 006conta 80.000-8
- BradescoAgência: 0348-4Conta Corrente: 160.000-1

O nome da pessoa jurídica é Fundo Estadual da Defesa Civil, e o CNPJ é 04.426.883/0001-57.

Segundo o governo estadual, o dinheiro arrecadado será usado para compra de mantimentos que serão distribuídos entre os moradores das cidades que tiveram alagamentos e deslizamentos.

Trabalho VoluntárioDefesa Civil convoca voluntários com experiência em situações de emergência. Interessados devem se apresentar na Rua Blumenau, 1500 (ao lado da Celesc). Telefone: (47) 3249-5830.

sábado, 29 de novembro de 2008

Dar amor


Nós pensamos que estamos sendo feridos quando não recebemos amor. Mas não é isso o que nos fere: sofremos porque não damos amor. Nós nascemos para amar. Pode-se dizer que somos máquinas de amor criadas por Deus para funcionar perfeitamente ao dar amor. O mundo nos leva a acreditar que nosso bem-estar depende do amor de outras pessoas. Mas é esse tipo de pensamento equivocado que tem causado tantos problemas. A verdade é que nosso bem-estar depende do nosso amor. Não se trata de ter retorno, mas sim de oferecer.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Viver o dia


Tens que viver o dia de tal forma que, à noite, quando estiveres com o pensamento ligado a Deus tu não te sintas diminuído, mas tranqüilo. É a hora também de pedires a Deus que te dê no dia seguinte aquilo que destes ao teu semelhante no dia que vivestes. Nessa meditação, nesse envolvimento que conseguires com os espíritos superiores, encontrarás mais facilidade para, no dia seguinte, ficares melhor situado no plano espiritual.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Morte

Quantas vezes já nos sentimos desprezados pela sociedade, sentimo-nos completamente sós, sem ninguém, mas por quê esse sentimento ou melhor, impressão de estar só?
Estar só quando na realidade há no mínimo uma pessoa a acreditar em nós. Isso não é estar só, nunca foi e nunca será. Talvez a melhor definição de solidão é morte. E o que é a morte? O fim da vida? O começo de uma nova? Ou uma fuga para o sofrimento vivido durante a vida em que a pessoa em causa, pensa já sem esperança, que é a única solução para o sofrimento?
Talvez não haja explicação concreta para a temida ou adorada palavra morte. Mas talvez o que provoca mais medo da morte é a perda, o medo de perder alguém que nos está próximo e que talvez num ato desesperado decidiu pôr termo à vida para talvez encontrar sossego. Se alguém fez isso não se lembrou que uma pessoa próxima iria sofrer. Que alguém iria chorar. Que alguém poderia desistir. Que alguém precisava dessa mesma pessoa. Mas para evitar estas situações foi criada uma palavra sentimento: AMIZADE! Talvez este seja o pior inimigo da morte.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Solidão (Zézinha)


Na vida pode ter-se tudo: dinheiro, saúde, mas não tendo um ombro amigo para desabafar as mágoas... de que vale tudo isso?
E a solidão bate à porta...
Solidão e mais solidão é o que se sente... quando se vê a pessoa que se ama partir para uma viagem sem regresso...
O nosso coração sente o vazio encher-se de uma saudade e de uma angústia tão dilacerantes que até dá vontade de morrer!Mas… a vida é muito maior e mais forte que tudo isso e obriga-nos a continuar em frente... mesmo sabendo que mais adiante teremos novo encontro com a maldita solidão..
Pensamos então: o que faço aqui sozinha (o) neste mundo cruel?
Sei que a solidão é a companheira de viagem de outras almas mais fortes e mais afortunadas e por isso sorrio... para não morrer de melancolia e dor... porque a vida é Amor...
A solidão só mata quando perdemos a fé em nós e deixamos de sonhar..., tapando as janelas da alma...Temos, pois, que ser fortes e fazer amigos verdadeiros, que possam escutar os gritos da nossa solidão...
Se a solidão lhe apertar o coração, sorria e jogue-a no lixo; abra os braços para sentir o calor da amizade, do amor e do companheirismo que a(o) ajudarão a desfrutar da plenitude da vida...

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Palavras e atos

Precisas lembrar, diariamente, que tuas palavras e teus atos não são ouvidas e vistos apenas pelos teus vizinhos, mas ficam gravados e são observados pelos espíritos superiores, que são os mensageiros de Deus. Assim, controla tuas palavras e tuas ações. Só quando entram a caridade e o amor elas poderão ter total liberdade.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Graça de Deus


Se você obtém a Graça de Deus, mesmo as sentenças do destino podem ser superadas. Há certos remédios que vêm com datas de validade, além das quais o medicamento perde sua eficácia. O remédio ainda pode estar guardado no frasco, mas não será mais eficaz depois daquela data. De forma semelhante, a Graça de Deus pode tornar as sentenças do destino inoperantes. Assim como você não sente a dor aguda em seu corpo quando o médico administra uma injeção de morfina, a Graça de Deus lhe permite suportar as dificuldades sem ter que passar pelo sofrimento.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Eu aprendi


Eu aprendi que eu não posso fazer alguém me amar. Tudo o que posso fazer é ser alguém que possa ser amado. O resto depende deste alguém. Eu aprendi que não importa o tanto que eu demonstre carinho, algumas pessoas simplesmente não importam em retornar o afeto. Eu aprendi que a confiança demora anos para ser adquirida e alguns minutos para ser destruída. Eu aprendi que não é o que eu tenho na vida mas quem eu tenho na minha vida que realmente conta. Eu aprendi que posso conseguir alguma coisa com meu charme por mais ou menos 15 minutos, depois disto é melhor que eu saiba alguma coisa. Eu aprendi que eu posso tomar uma decisão precipitada e que trará conseqüências pelo resto da minha vida. Eu aprendi que está demorando muito para eu me tornar a pessoa que eu almejo ser. Eu aprendi que nós devemos nos despedir das pessoas que nos são queridas com palavras amáveis, pode ser que esta seja a última vez que nos despedimos delas. Eu aprendi que depois que decidi que não consigo ir em frente, eu vou além mais um pouco. Eu aprendi que nós somos responsáveis por tudo que fazemos, não importa o que sentimos. Eu aprendi que ou eu controlo minha atitude ou ela me controlará. Eu aprendi que não importa o quanto um relacionamento é quente no inicio. A paixão acaba e é melhor que tenha algum sentimento mais forte para tomar o lugar da paixão. Eu aprendi que Heróis são pessoas que fazem o que é necessário ser feito, não se importando com as conseqüências. Eu aprendi que dinheiro é uma péssima maneira de se suceder na vida. Eu aprendi que minha amiga e eu, podemos fazer tudo ou nada, e nos divertirmos da mesma forma. Eu aprendi que muitas vezes as pessoas que eu esperava que me desprezariam, foram justamente elas que me ajudaram a levantar da minha queda. Eu aprendi que por muitas vezes eu fiquei irritado, e eu tenho o direito de ficar. Mas isto não me dá o direito de ser cruel com os outros. Eu aprendi que uma amizade verdadeira continua a crescer independente da distância que nos separa. A mesma coisa funciona para o amor verdadeiro. Eu aprendi que não é porque alguém não me ame da maneira que eu quero ser amado, que ele não me ame com tudo que ele entende por amor. Eu aprendi que maturidade tem a ver com as experiências que eu tive e o que aprendi delas e não tem nada a ver com a quantidade de aniversários que alguém completa. Eu aprendi que nós nunca devemos dizer para uma criança que os sonhos dela são impossíveis de se concretizarem. Algumas coisas são mais humilhantes do que isto e que tragédia seria se a criança acreditar nas suas palavras. Eu aprendi que eu não posso contar sempre com minha família. Parece engraçado, mas pessoas que não são nossos parentes podem fazer mais por nós e também nos amar e nos ensinar a confiar nas pessoas novamente. Família, não é só a biológica. Eu aprendi que não importa o quanto nosso melhor amigo é bom, ele irá nos machucar de vez em quando e nós temos que perdoá-lo. Eu aprendi que nem sempre é suficiente ser perdoado, nós temos que aprender a perdoar a nós mesmos em primeiro lugar. Eu aprendi que não importa o quanto o meu coração está doendo, o mundo não para. Eu aprendi que de onde eu vim pode ter influência no que eu sou, mas sou responsável no que vou me tornar. Eu aprendi que porque duas pessoas estão discordando uma da outra não quer dizer que elas não se amem. E porque elas não brigam quer dizer que se amem. Eu aprendi que nós não devemos mudar nossos amigos se compreendermos que os amigos mudam. Eu aprendi que nós não devemos ficar tão curiosos para saber um segredo, este segredo pode mudar o rumo da nossa vida para sempre. Eu aprendi que duas pessoas podem olhar para uma mesma coisa e ter opiniões completamente diferentes. Eu aprendi que não importa o quanto nós protegemos nossos filhos, eles serão machucados e nós ficaremos feridos também. Eu aprendi que nossa vida pode ser mudada em questão de horas por pessoas que não nos conhece. Eu aprendi que quando não tenho mais nada de mim para dar, se um amigo precisa do meu apoio eu encontro energia suficiente para ajudá-lo. Eu aprendi que um diploma na parede não faz um homem descente. Eu aprendi que aqueles nós amamos mais, são os primeiros a serem levados pela morte. Eu aprendi que é muito difícil determinar entre ser bom e não machucar as pessoas e permanecer firme no que acredito.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Silêncio


“Ouvindo de um conhecido a expressão, “não gosto do silêncio”, levou-me a pensar: por que muitas vezes fugimos do silêncio?Ligamos a televisão quando estamos sozinhos em casa, mesmo que não olhemos para ela; levamos música quando prevemos uma viagem ou um espaço vazio no dia.É saudável, sem dúvida, o desejo de companhia, o gosto por estarmos ocupados; a música. Somos gente do mundo e este é o nosso lugar, do qual tanto gostamos. Precisamos do ruído, da agitação para nos sentirmos vivos.Porém, faz também parte da nossa natureza o recolhimento. Somos seres racionais: os nossos gestos deviam ser pensados; os nossos sentimentos e as nossas intenções, analisados; devíamos avaliar o significado dos acontecimentos; era preciso que forjássemos uma opinião acerca de muitas coisas, novas e velhas. Devíamos construir os nossos princípios a partir de dentro, e não com base em meia dúzia de anúncios publicitários, no que ouvimos na novela ou no noticiário, ou no que lemos num livro em moda.O silêncio permite-nos ter uma vida por dentro, qualquer coisa que flutua por cima da pressa, da confusão das sensações, das notícias de jornal. Qualquer coisa que para dizer de outra forma permanece em sossego, como o fundo do mar, longe do reboliço superficial das ondas e do vento.É pelo silêncio que se entra nesse lugar. E era importante que lá entrássemos, porque só assim nos aproximaremos da nossa dimensão humana. Todos devíamos ter um pouco de pastor ou de marinheiro, os clássicos vizinhos dos grandes horizontes e das estrelas.É dentro de nós que nos podemos conhecer a nós e ao que verdadeiramente são as coisas, as pessoas e os acontecimentos. Dentro de nós é que havemos de encontrar as sementes do ideal, do sonho nobre, da força para resistir e avançar. Por que fugimos, então, de estarmos a sós conosco mesmos? Por trás de uma série de razões superficiais – não totalmente verdadeiras – como a falta de tempo, de hábito ou de paciência, existe um único motivo real: temos muito medo da verdade; receamos pensar naquilo que nos pode complicar a vida.”

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Povo Cigano, vindo das estrelas


O Povo Cigano é guardião da LIBERDADE. Seu grande lema é: "O Céu é meu teto; a Terra é minha pátria e a Liberdade é minha religião", traduzindo um espírito essencialmente nômade e livre dos condicionamentos das pessoas normais geralmente cerceadas pelos sistemas aos quais estão subjugadas. A vida é uma grande estrada, a alma é uma pequena carroça e a Divindade é o Carroceiro.

Em sua maioria, os ciganos são artistas (de muitas artes, inclusive a circense); e exímios ferreiros, fabricando seus próprios utensílios domésticos, suas jóias e suas selas. Rotulados injustamente como ladrões, feiticeiros e vagabundos, os ciganos tornaram-se um espelho onde os homens das grandes cidades e de pequenos corações expiaram suas raivas, frustrações e sonhos de liberdade destruídos. Pacientemente, este povo diferenciado, continuou sua marcha e até hoje seus estigmas não sararam. Na verdade cigano que se preza, antes de ler a mão, lê os olhos das pessoas (os espelhos da alma) e tocam seus pulsos (para sentirem o nível de vibração energética) e só então é que interpretam as linhas das mãos. A prática da Quiromancia para o Povo Cigano não é um mero sistema de adivinhação, mas, acima de tudo um inteligente esquema de orientação sobre o corpo, a mente e o espírito; sobre a saúde e o destino.

A família é a base da organização social dos ciganos, não havendo hierarquia rígida no interior dos grupos. O comando normalmente é exercido pelo homem mais capaz, uma vez que os ciganos respeitam acima de tudo a inteligência. Este homem é o Kaku e representa a tribo na Krisromani, uma espécie de tribunal cigano formado pelos membros mais respeitados de cada comunidade, com a função de punir quem transgride, a rígida ética cigana. A figura feminina tem sua importância e é comum haver lideranças femininas como as phury-day (matriarca) e as bibi (tias-conselheiras), lembrando que nenhum cigano deixa de consultar as avós, mães e tias para resolver problemas importantes por meio da leitura da sorte.

Esse povo canta e dança tanto na alegria como na tristeza pois para o cigano a vida é uma festa e a natureza que o rodeia a mais bela e generosa anfitriã. Onde quer que estejam, os ciganos são logo reconhecidos por suas roupas e ornamentos, e, principalmente por seus hábitos ruidosos. São um povo cheio de energia e grande dose de passionalidade. São tão peculiares dentro do seu próprio código de ética; honra e justiça; senso, sentido e sentimento de liberdade que contagiam e incomodam qualquer sistema. O mais importante para o Povo Cigano é interagir com a Mãe Natureza respeitando seus ciclos naturais e sua força geradora e provedora. (www.salves.com.br/gyphist.htm)


Aproveite e tire uma carta cigana...
Clique aqui e veja também...

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Viver


"Viver não é doar pouco... É doar sempre.
Não é apenas suportar a ofensa... É esquecê-la.
É ajudar, mesmo que isso se torne incômodo.
Viver, não é simplesmente sorrir.
É mais do que isso... É fazer alguém sorrir.
Viver não é medir sua ajuda... É ajudar sem medir.
Não é ajudar somente quem está perto... Mas estar sempre perto para ajudar.
Quem realmente ama... Não faz o que pode... Faz o impossível!!!Viver é sempre dizer aos outros... Que eles são importantes... Que nós o amamos... Porque se um dia eles se vão... Ficamos com a nítida impressão... De que não o amamos o suficiente.
Viva... Ame as pessoas ao seu redor... Diga-lhes o quanto elas significam para você... Perceba que a felicidade é uma coisa tão simples... Que você pode alcançá-la num só gesto... Desde que esse gesto transmita tudo de bom que existe em você, desde que signifique sinceridade... Desde que signifique amor.
Ame as pessoas como se não houvesse amanhã..."

domingo, 2 de novembro de 2008

Caminho escuro


quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Luz, comunhão e espírito


Estamos unidos em espírito, pelos laços do coração iniciado na Luz.
Juntos, somos mais fortes; aspiramos e respiramos o sopro vital na mesma. Muitos dizem que não se deve misturar egrégoras de trabalhos diferentes, porém, quando o Amor se manifesta, desaparece qualquer ideologia doutrinária e só fica o que interessa: a LUZ.
O dia em que os homens despertarem para climas mais universalistas e cosmoéticos, com certeza esse mundo será melhor de viver.
Viva a LUZ, pouco importa o nome, o grupo ou a doutrina que fale dela. E viva os mentores espirituais que ajudam a todos, independentemente de credo, raça ou cultura esposada.'
Quando rimos juntos, também dissolvemos a tristeza de outros, algures... Quando irradiamos energias juntos, soltamos antigas escamas psíquicas, nossas e de outros seres, e os nossos chacras ficam em festa.
Cada um de nós carrega limitações, bloqueios, confusões e coisas estranhas por dentro. Porém, juntos, na atmosfera secreta do mesmo despertar, quem é que liga para isso?
Só queremos unir os corações na mesma Luz e fluir algo bom; para que todos simplesmente se sintam felizes e integrados, como companheiros dos mesmos ideais espirituais.
Há consciências extrafísicas que vêm de muito longe, para sustentar o amparo invisível e fluir, juntas a nós, as melhores energias. E elas vêm porque sabem que quando estamos juntos, somos um sol!
Muitas vezes, nossos entes queridos, que hoje moram em outros planos de manifestação, também aproveitam nossa reunião e chegam junto! E eles ficam contentes em ver o que estamos realizando nas lides do estudo espiritual.
Há beijos e abraços invisíveis, inspirações e toques secretos, sussurrados espiritualmente aos corações, na sintonia do Eterno.
Pela vontade do Alto, aqui estamos, mais uma vez.
Por nossos corações, iniciados na Luz.
Pelos amparadores extrafísicos, amigos maravilhosos, que jamais nos abandonam nem julgam nossas deficiências. Eles vêem o melhor em cada um de nós.
Pela Vida; pelo Eterno; pelo TODO...

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Reatividade!


“Somos seres capacitados para grandes realizações. Possuímos um sistema inteligente, comandado a partir de nosso cérebro, capaz de fazer coisas inacreditáveis. Nenhuma tecnologia mecânica consegue reproduzir artificialmente a nossa inteligência natural. O nosso cérebro supera qualquer computador mecânico, qualquer inteligência artificial, por mais avançada que seja. A capacidade de processar informações em nosso cérebro é tão grande que, comparativamente, o cérebro de um pequeno pássaro já supera toda essa tecnologia artificial existente hoje no planeta somente com uma operação de pouso; agora, imagine nós, que já alcançamos níveis mais elevados de evolução! Nenhum cérebro eletrônico consegue, nem conseguirá, nos superar em nossa capacidade de processar informações. Isso porque somos nós que os criamos e porque evoluímos constantemente; nós pensamos e criamos pensamentos. Esse atributo só é alcançado por um cérebro comandado por uma consciência minimamente evoluída. Quanto mais por uma consciência plenamente desperta, iluminada!
E você sabe de tudo isso. Sabe também que pode mudar a sua vida quando quiser e que pode comandar as suas ações, mas continua apenas reagindo a estímulos externos. Se alguém o(a) elogia, responde com gratidão, mas se o(a) criticam reage com indignação e aborrecimento. Viver reativamente é estar adormecido(a) na inconsciência, ou seja, não saber o que se passa consigo mesmo(a).
É assim que você funciona?
Há que se dominar as paixões e os impulsos instintivos se se quiser entrar no reino da consciência plena. Consciência plena é iluminação. Eu sei que pode não ser isso que você deseja agora, pois há ainda muitas coisas mais importantes a fazer, e muitos outros desejos a satisfazer. Mas é bom ir já pensando numa forma de facilitar as coisas antes que a vida se encarregue de empurrar você com a força de um furacão.
Saindo da reatividade, você assume a condição de uma consciência desperta que tudo percebe e comanda as sua ações a partir do centro dessa consciência. As respostas passarão a ser genuínas, verdadeiras e suas, e não mais reações instintivas a partir do emocional.
Quando você conseguir dominar o corpo, a mente e as emoções, terá alcançado o estágio mais importante: a consciência do espírito. O pleno domínio do espírito sobre a matéria. Quando o espírito domina a matéria, a escravidão pelo sofrimento acaba. Você se torna um ser livre. Para isso é preciso aceitar a realidade, desapegar-se das coisas materiais e emocionais, parar de lutar contra o fluxo natural da vida e aproveitar a sua força propulsora para progredir e evoluir. Parar de reagir; agir por vontade própria e estar perceptível a tudo o que se passa em sua existência.
Tudo é muito mais fácil quando se aceita a realidade; quando se quer ampliar o nível de percepção e se deseja cada vez mais; quando se deseja cada vez menos. Desejar mais e desejar menos não estão em contradição. Desejar mais é buscar o valor maior, a pérola que guarda o único valor perene; desejar cada vez menos é desapegar-se dos valores momentâneos do mundo. A pérola você levará sempre consigo, para onde for, em qualquer dimensão que estiver, já os valores momentâneos do mundo serão deixados aqui, pois eles só pertencem a este mundo. Eles são para ser desfrutados e não possuídos!
Construir o seu destino significa saber usar com inteligência as forças da vida a seu favor.”

sábado, 25 de outubro de 2008

Limitações




sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Confiar (Ediel Caldas)


Confiar é andar na chuva,
Mesmo podendo adoecer
Confiar é apostar tudo,
Correndo o risco de perder
Confiar é dedicar-se,
Sem medo de fracassar
Confiar é ir contra todos,
E descobrir o que é amar
Confiar é dar espaço,
E ter a certeza de que não vão te trair
Confiar é decepcionar-se,
E mesmo assim não se deixar iludir
Confiar é ir atrás,
Mesmo quando te dizem não quero mais
Confiar é amar com a alma,
Sabendo que isso não morre jamais
Confiar é dizer posso te fazer feliz,
Ainda que pense que não tenho razão
Confiar é os erros perdoar,
Antes mesmo de pedirem perdão!

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Amor


Sentimento gerador de energias sublimes entre os humanos, os animais, as plantas, tudo que respira, que vive e se reproduz. Traduz-se por pequenos gestos, atitudes que nos fazem renovar, nos sentirmos “vivos” para essa vida tão corrida e atribulada. A falta desse sentimento vai minando, secando o ser, endurecendo, azedando, afastando mais e mais as pessoas do seu convívio. Num “bom dia”, num “muito obrigado”, geramos essa energia. No escutar uma outra pessoa, no observar o próximo com olhos do coração, sentimos o bem-estar e a renovação. Sentimos a troca de energias positivas, mais tranqüilidade do dever executado, tornando-nos pessoas de bem, cidadãos respeitando o espaço do nosso semelhante. Essa atitude de respeito vai, em cadeia, criando novas forças, contaminando pessoas que estão naquele ambiente. Imaginemos umas massas imensas de gente, que atmosfera de energia leve e suave teríamos nas cidades, nos países, no mundo. Tal é a importância, a grandeza desse sentimento, gerador de tudo, se exprimindo em pequenos gestos, atitudes, compreensão, respeito pelo próximo, pelos animais, pelas plantas, pela natureza... tendo em mente que o nosso espaço termina onde começa o da outra pessoa.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Omissão e simpatia


Encontramos nos dicionários as seguintes definições:
Omissão: ato ou efeito de omitir-se. Aquilo que se omitiu, falta, lacuna, descuido, negligência.
Simpatia: tendência que reúne duas ou mais pessoas, inclinação. Atração que uma coisa ou idéia exerce sobre alguém. Pessoa muito simpática.
Quais os motivos da omissão?
Talvez porque “não quero aborrecimentos”, “não é comigo”; “não fui eu quem fez”; “afinal somos amigos, é difícil falar sobre o acontecido, logo com ele!”; “Não quero ser desagradável e antipático”; “Afinal, temos que aceitar as pessoas como elas são”; enfim, são muitas as justificativas.
A omissão é uma forma de minar as forças de uma atividade, permitindo que o mal cresça. Às vezes, para não criarmos um clima “desagradável”, deixamos “as coisas acontecerem”, para ver como ficam. Tal atitude é tremendamente prejudicial seja onde for. Precisamos aprender a nos comunicar falando aberta e francamente diante do que estamos vendo. É claro que com educação, fraternidade e sem ofensas, mas sendo verdadeiros. E como tal condição é difícil para a grande maioria das pessoas, cumprir normas, para muitos, não faz sentido. A omissão deve ser combatida incessantemente por todos. As pessoas consideram e confiam naqueles que são verdadeiros. Eles conseguem agradar mais do que se pensa, porque sempre demonstram a realidade dos fatos.
Devemos ser sinceros com o nosso semelhante, buscando a aproximação e o intercâmbio. E isso é possível com aceitação e compreensão, nos tornando mais próximos, não tendo receio de expor ao nosso companheiro o que sentimos e pensamos. Aí haverá respeito, e estímulo à tendência construtiva.
Falar a verdade mesmo que, muitas vezes, não sejamos compreendidos e mesmo que não estejamos entendendo o outro, faz parte do nosso aprendizado, do nosso crescimento. Compreender é um exercício constante.

domingo, 12 de outubro de 2008

Amor, perdas, partidas e saudade...


“Falar em perdas é falar em solidão, tristeza, desesperança, medo.
Quando digo perdas, não estou me referindo apenas aos que morrem, mas a todos que, de alguma forma, nos deixam prematuramente, antes que estejamos preparados.
Um amigo que se muda para longe, um namoro interrompido abruptamente e até mesmo um ente querido que se vai, sempre provoca em nós uma sensação de vazio. E por que isso? Porque sofremos tanto mesmo sabendo que estas perdas ou partidas inesperadas são inerentes a vida e que, portanto, não podemos controlá-las?
Não saberia responder com precisão as perguntas acima, mas, o que me parece mais coerente é que nunca estaremos prontos para nos acostumarmos com a falta dos que amamos. Por mais que saibamos que a qualquer instante eles nos faltarão, temos sempre a predisposição em acreditarmos que quem nos ama nunca nos trairia, nos privando de seu afeto, carinho e amor. Ledo engano. São justamente aqueles que amamos que mais nos machucam com suas partidas inesperadas. Vão-se sem aviso prévio e nos levam a felicidade, a fé na vida, o equilíbrio.
O que fazer então? Não amarmos? Não nos permitirmos gostar de alguém pelo simples fato de que seremos, mais cedo ou mais tarde, deixados para trás na vida, entregues às nossas angústias e remorsos por não termos dito tudo ou feito o suficiente por eles?Creio que não. Se há algo na vida que mais nos trás felicidade é sabermos que somos queridos e não seria honesto nos privarmos de tal sentimento por covardia.
Um amor de pai e mãe, o carinho de um amigo ou afeto de uma relação a dois deve sempre se sobrepujar ao medo da perda. Porque ela é inevitável; o sentimento, não. Deve ser exercitado todos os dias de nossas breves vidas. Ele é o que nos move, nos dá o chão para que possamos caminhar pela vida com a certeza de que, haja o que houver, teremos sempre alguém com quem contar, que nos apoiará mesmo nos momentos em que não tenhamos razão. Esta, deve ser a maior lição deixada pelos que partem sem nos avisar. Lembrar-nos que devemos sempre curtir aqueles que amamos com a intensidade proporcional a brevidade de uma vida. Porque, quando nos faltarem, saberemos que amamos e fomos amados, que demos e recebemos todo o carinho esperado, que construimos um sentimento que nenhuma perda poderá apagar. Este sentimento transcende o espaço e o tempo, não se limita ao contato físico. Torna-se parte de nós, impregnado em nossa alma, nos confortando nos dias difíceis, sendo cúmplices de nossas vitórias pessoais, norteando nossa conduta, nos fazendo sentir eternamente amados. Que me perdoem os físicos, mas, neste caso, acredito sim que dois corpos podem ocupar o mesmo lugar no espaço. Basta que permitamos sentir a presença dos que amamos dentro de nós, como se fossem parte de nossa alma. Só assim seremos inteiros.”

"Aqueles que amamos nunca morrem, apenas partem antes de nós".

sábado, 11 de outubro de 2008

Inútil


quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Remédio


Tome diariamente!!!
Faz bem para você e melhora qualquer ambiente!!!








segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Não fazer


Qualquer pessoa não deve fazer como o dia sombrio, aquele que, coberto de nuvens negras, leva desânimo, deixando a alma apreensiva e desesperançada. Ninguém aprecia o dia nessas condições, o mesmo acontecendo com aquela pessoa que, com motivo ou mesmo sem nenhum, parece carregar o peso do mundo em seus ombros. A pessoa não pode entregar-se ao desânimo, mesmo que enfrente injúrias, prepotência ou estupidez de alguns. Deve lembrar-se que depois da montanha há outras planícies.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Um Ser Dourado


“Existe um ser dourado dentro de cada um de nós. Por trás das fachadas, das defesas, das imagens que apresentamos ao mundo, existe uma alma brilhante e preciosa pedindo para se expressar. Em nosso íntimo existe alguém forte, sábio e compassivo. Alguém com imensa capacidade de dar e receber amor e conhecer as profundas verdades do coração. É esse alguém que buscamos durante toda a nossa vida.
Ao longo de anos a fio – de várias vidas, às vezes – nós nos protegemos de uma temida destruição recobrindo nosso verdadeiro eu com armaduras de proteção, máscaras de audácia e destemor, muros de pedra para defender-nos. De camada em camada, revestimos nossa natureza original com ilusões e inverdades a respeito de quem somos. A princípio, nossa intenção é apenas proteger-nos do sofrimento, mas assim mantemos o amor a distância. Pensamos que podemos nos sair bem correspondendo a uma imagem de nós mesmos esperada pelo mundo externo, mas essa adaptação custa-nos o elevado preço de nossa vida interior. Ironicamente, na tentativa de fazer com que os outros acreditem que somos alguém que não somos, acabamos enganando a nós mesmos. Se contamos uma mentira por tempo suficiente, começaremos a acreditar nela, e, enfim, o engodo enredará o próprio mentiroso. Induzimo-nos a acreditar que somos algo que não somos. Esquecemos da beleza e da grandiosidade do nosso verdadeiro eu e acabamos acreditando que não somos dignos de todo o bem pelo qual nosso coração anseia e que merece desfrutar.
Podemos esconder quem somos, mas não podemos destruir isso; quer queiramos, quer não, temos de descobrir a nossa verdade interior e viver para ela. Chega o momento em que temos de deixar de lado nossos receios e reafirmar o desejo do nosso coração. Não importa por quanto tempo ficamos disfarçado; a nobre aventura de reapossarmo-nos de nossa identidade começa no exato momento em que percebemos de relance o ouro que reluz embaixo da pedra. A verdade de nossa totalidade não é maculada durante todo o tempo em que caminhamos imersos no sonho de nossa falsa identidade. Ao longo de todo esse percurso, nosso verdadeiro eu permanece intacto, inocente e tão perfeito quanto Deus o criou. Estamos e sempre estaremos perfeitamente a salvo. Os exércitos do medo chegam e partem. Enquanto eles se perdem no pó, nós estamos aqui para construir novamente. Que as antigas recordações de terror não lancem sombras sobre a manhã que desponta.”

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

O perigo de um desabafo (Dado Moura)

Quando desabafamos com um alguém sobre nossas intimidades podemos ter conseqüências desastrosas se escolhemos um “confidente” sem maturidade para acolher o que temos a falar. Uma pessoa fragilizada pelos desentendimentos e crise de seu relacionamento poderá facilmente recorrer à ajuda de quem está mais próximo dela.
Dessa forma, um simples colega pode se tornar um conselheiro quando a pessoa que se encontra numa crise se vê favorecida pelas longas horas diárias de convívio no trabalho ou na faculdade. Sem reservas ela expõe situações, as quais
deveriam apenas ser discutidas com aquele que realmente faz parte do problema: seu cônjuge, por exemplo. Talvez, por falta de coragem ou por certa dificuldade no diálogo com aquele que é a “causa da crise”, a pessoa vê no colega uma oportunidade para relatar o que está vivendo.
A pessoa necessitada de amparo, sem perceber e pelo fato de se sentir compreendida em seus desabafos, vê no amigo o “Sr. Compreensão”, ainda que este tenha conhecimento de apenas parte da verdade.Por meio de conversas, sobre assuntos relacionados à intimidade pessoal, a simples amizade poderá se transformar num relacionamento muito estreito. E qualquer desatenção por parte dos colegas poderá fazer surgir entre eles uma atração diferente; favorecida por comportamentos que não deveriam ser vividos entre os amigos. Isso será muito nocivo para qualquer relacionamento, especialmente se o vínculo com o colega se intensificar por meio de telefonemas reservados, e-mails secretos, entre outras atitudes que podem gerar uma crise de
ciúme.
Muitas vezes, as pessoas que se encontram fora do nosso problema conseguem entender melhor a situação que estamos vivendo. Em certas ocasiões, se faz, realmente, necessário recorrer à ajuda externa, seja por intermédio de um profissional ou com alguém que já tenha vivência e amadurecimento para que possa ajudar o casal a encontrar as possíveis soluções para seus
impasses.
Partilhar é bom, entretanto, mais importante é saber com quem estamos falando de nossa intimidade, que é o nosso “sagrado”. Fazer de qualquer pessoa um conselheiro para nossos desabafos ou reclamações apenas expõe nossa intimidade e, ao mesmo tempo, pode adiar a restauração do
convívio com aquele que deveria ser o primeiro a saber de nossas necessidades.
A melhor forma de se resolver uma crise é contar com a participação direta do outro naquilo que se refere ao desentendimento. Afinal, faz parte do convívio a dois o acolhimento para as mudanças de forma mútua e o eterno ato de se reconciliar.

terça-feira, 30 de setembro de 2008

O destino de cada um

Ninguém conhece alguém ... Nada nesta vida acontece... Ninguém chega até nós...E ninguém permanece em nossa vida por um simples acaso.
Pessoas nos encontram ou nós as encontramos meio sem querer não há programação da hora em que as encontraremos .
Assim, tudo o que podemos pensar é que existe um destino, em que cada um encontra aquilo que é importante para si mesmo.
As pessoas que entram em nossa vida, sempre entram por alguma razão, algum propósito.
Ainda que a pessoa que entrou em nossa vida, aparentemente, não nos ofereça nada, mas ela não entrou por acaso, não está passando por nós apenas por passar.
O universo inteiro conspira para que as pessoas se encontrem e resgatem algo com as outras.
Discutir o que cada um nos trará, não nos mostrará nada, e ainda nos fará perder tempo demais desperdiçando a oportunidade de conhecer a alma dessas pessoas.
Conhecer a alma significa conhecer o que as pessoas sentem, o que elas realmente desejam de nós, ou o que elas buscam no mundo, pois só assim é que poderemos tê-las por inteiro em nossa vida.
A amizade é algo que importa muito na vida do ser humano, sem esse vínculo nós não teremos harmonia e nem paz.
Precisamos de amigos para nos ensinar, compartilhar, nos conduzir, nos alegrar e também para cumprirmos nossa maior missão na terra: “Amar ao próximo como a si mesmo".
E para que isso aconteça, é preciso que nos aceitemos em primeiro lugar, e depois olhemos para o próximo e enxerguemos o nosso reflexo.
Essas pessoas entram na nossa vida, às vezes de maneira tão estranha, que nos intrigam até. Mas cada uma delas é especial, mesmo que o momento seja breve, com certeza elas nos deixarão alguma coisa.
Observe a sua vida, comece a recordar todas as pessoas que já passaram por você, e o que cada uma deixou.
Você estará buscando a sua própria identidade, que foi sendo construída aos poucos, de momentos que aconteceram na sua vida, e que até hoje interferem em seu caminho.
Passamos por vários momentos em nossa vida.Momentos estes que nos marcam de uma forma surpreendente, nos transformam, nos comovem, nos ensinam e muitas vezes, nos machucam profundamente.
Quando sentir que alguém não lhe agrada, dê uma segunda chance de conhecê-lo melhor, você poderá ter muitas surpresas cedendo mais uma oportunidade.
Quando sentir que alguém é especial para você, diga a ele o que sente, e terá feito um momento de felicidade na vida de alguém.
Não deixe para fazer as coisas amanhã, poderá ser tarde demais. Faça hoje tudo o que tiver vontade.
Abrace o seu amigo, os seus irmãos, os seus filhos.
Dê um sorriso para todos, até ao seu inimigo.
Se estiver amando, ame pra valer, viva cada minuto deste amor, sem medir esforços.
Seja alegre todas a manhãs, mesmo que o dia não prometa nada de novo.
Preste bastante atenção em todas as pessoas, elas poderão estar trazendo a sua tão esperada FELICIDADE!

domingo, 28 de setembro de 2008

É hora de encarar a depressão (Gasparetto)

É hora de encarar a depressão. Em vez de fazer os outros terem pena de você, combata os comportamentos negativos que só perpetuam o baixo-astral.
Hoje eu quero falar sobre um mal que tem acometido muitas pessoas: a depressão, aquela incapacidade que o indivíduo tem de conseguir ficar bem. A grande maioria das depressões, no entanto, é crônica. Por mais que a pessoa queira sair do seu constante baixo-astral, a situação está tão automatizada e tão mecanizada que chega até a influenciar os componentes químicos do cérebro do indivíduo. Seja como for, se esse é o seu caso, há sempre um modo de sair. Esse modo vai depender do que você vai fazer a respeito. É, gente, porque algumas pessoas até gostam de ficar deprimidas. Saem por aí com a cara pra baixo, angariando a piedade dos outros e de alguma forma se beneficiam da atenção alheia. Resultado: alimentam a depressão. Agora eu lhe pergunto: Será que você não dá corda pra isso? Pense a respeito. Passemos para outra questão: como será que você se deprime? É isso mesmo, estou cutucando você porque estamos aqui para assumir a nossa responsabilidade. A sua responsabilidade. Afinal de contas, somente você pode movimentar seus conteúdos para modificar-se e, assim, ficar bem. Não se sinta culpada. Não estamos aqui para condená-la.Muitas das nossas limitações têm sua origem na nossa infância, até mesmo antes das infâncias, em outras vidas. Enfim, acabamos atraindo para o nosso convívio determinados tipos de personalidades. Talvez você tenha interagido muito com pessoas que adoravam ser a rainha das tragédias, a vítima. E se deixou influenciar. Coitadinho de mim!! É, pessoal, depressão tem tudo a ver com o coitado de mim. "Coitado de mim, não tenho o amor que eu queria..." "Coitado de mim, não tenho situação financeira, emprego, amizades, as oportunidades que eu tanto queria..." Aliás, o coitado de mim é natural no ser humano. Cada um conta a sua história. Mas, no final, todo mundo acaba no pobre de mim. O pobre de mim é aquela criatura que não tem potencial, está sempre triste, negativa e desanimada. São pessoas, portanto, que passam a ser um capacho das outras, esperando muito pouco. Se magoam com facilidade, não se dão forças e são frágeis. Você sabe, né, por mais que você seja frágil, a vida cobra igual de todo mundo! E nós somos chamados a encarar uma série de desafios. Não tem jeito! E esse sujeito frágil, diante de uma situação difícil, se torna dramático, se recolhe e se deprime mais. Depressão também sempre envolve raiva. "Raiva das pessoas que me fizeram me sentir um pobre coitado." "Raiva daqueles que me humilharam ou que não me deram as facilidades que eu queria." Como a gente quer facilidade na vida, né, gente? É, depressivo também é mimado. E outra, viu: não existe no mundo ninguém que não tenha sido provocado. Aqui ou ali, de uma forma ou de outra, todo mundo é exigido, é desafiado, é afrontado. Quem teve momentos melhores é porque saiu, buscou e conquistou. Portanto, comodismo não passa de pretexto para você ficar aí se superprotegendo. Já percebeu como as pessoas muitos mimadas se super protegem? Não é esse o seu caso? Está na hora de olhar o que você está fazendo.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Inveja: a tristeza que mata! (Madalena Carvalho)


"A inveja, como o vento, açoita sempre os cumes mais altos"
(Vergílio, poeta latino - 70 – 19 A.C)
A inveja é, sem dúvida, o mais antigo sentimento que se tem notícia, depois do amor. Pela inveja o mal entrou no mundo, pela inveja Caim matou Abel (personagens bíblicos cuja história é narrada no livro do Gênesis), pela inveja sofremos diariamente.
Podemos definir a inveja como "desgosto ou pesar pelo bem ou felicidade de outrem, desejo violento de possuir o bem alheio".
Acredito que muitas vezes as pessoas não tem bem definido o que é a inveja, confundindo-a com o desejo de ser feliz tanto quanto o outro o é. Ou seja, ambicionamos conseguir as mesmas coisas de alguém e isto não é inveja, desde que por meios justos trabalhemos para tal, e além de tudo esse desejo é reconhecer em si próprio a capacidade da conquista.
Agora, a inveja é, repetindo, o desejo violento de se possuir o bem alheio, e sempre que há a inveja ela vem acompanhada da maldade.
Ora, se sentimos tristeza pela felicidade alheia, esse sentimento é desprovido de amor, portanto só pode haver ódio, e onde há o ódio há também o mal. Se assim não fosse, a inveja não seria considerada um pecado. Independente da religião, sabemos que a inveja nasce no mal e se torna um vício e fonte de muitos outros males.
E como distinguir a inveja da ambição?
A ambição acompanha os guerreiros, os fortes. Podemos ter objetivos para alcançar algo, no entanto, se não temos a ambição, ou seja, o anseio ardente que nos impulsionará para a realização concreta dos nossos planos, estes não passarão de ilusões.
A ambição é necessária na vida e não podemos nos envergonhar de dizer que a temos. Muitas vezes as pessoas receiam falar que a possuem, com medo de serem chamadas de egoístas ou algo que o valha, justamente pela incompreensão do seu significado.
Diferentemente dos ambiciosos temos os invejosos, que são, em grande parte, gananciosos e neste ponto é que reside toda a confusão, porque a ganância, normalmente nascida da inveja, também é uma ambição, porém, desmedida.
Veja, a ambição é salutar, desde que tenha limites. É sempre bom observamos que existe uma linha tênue que separa o bem do mal.
Dizem que a inveja mata e mata mesmo. A História nos mostra que ela é destruidora, destrói um único indivíduo como toda a humanidade, e também sabemos que do coração é que brota todo e qualquer sentimento, portanto, está em nossas mãos decidir pelo bem ou pelo mal. Precisamos perceber que nossas inclinações perversas que obscurecem a consciência e corrompem nossa avaliação do certo e do errado, acontecem sempre que nos distanciamos do Amor.
Alguém pode estar questionando porque iniciamos dizendo que a inveja nos faz sofrer diariamente e a resposta está nas injustiças, nas desigualdades, no orgulho, nas discórdias que ameaçam sem cessar a paz e causam as guerras.
Se desejamos um mundo melhor devemos nos afastar do mal, usar o nosso livre arbítrio em favor do bem, e não permitir que a cobiça seja um açoite cruel ao nosso próximo.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Encerrando Ciclos


“Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final... Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.
Foi despedido do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu. Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem
subitamente transformadas em pó.
Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.
Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar. As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora.
Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.
Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se. Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.
Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor.
Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará. Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.
Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és... É preciso, mesmo que difícil de fazer... fechar ciclos, se desamarrar de lembranças... sempre ir tentando...”

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Aceitação (Prem Rawat)


Todos nós queremos nos divertir, desfrutar. O mais divertido de tudo isso é estarmos vivos. Nem todo mundo entende isso, porque ficamos ocupados com o significado da diversão, o significado da vida, e de qual deveria ser a definição. De repente, nos pegamos contestando o que está acontecendo à nossa volta, em vez de desfrutarmos.

Contestar é totalmente diferente de desfrutar no sentido verdadeiro. Eu não estou falando sobre festas e balões, mas de algo tão essencial ao ser humano – a diversão do coração.

As pessoas dizem: “A vida é terrível. Se você acha que a vida é diversão e alegria, então precisa de um choque de realidade”.

Qual é a sua realidade? Minha convicção, meu entendimento é que, de todos os dias que você tem nesta vida, se estiver pleno em apenas um deles, então esta vida terá valido a pena. Se forem só seis horas, três horas, uma hora, um momento, um segundo em que percebeu aquilo que lhe foi dado – esta vida terá valido a pena. Você não pode compreender o que recebeu enquanto não aceitar isso a partir do seu coração. Olhe para o que lhe foi dado em sua totalidade. Mesmo que seja por um segundo, é tão bonito, tão precioso que, sem dúvida, já é o bastante.

Quando o chamado vem de dentro, quando o coração diz: “Esteja pleno”, nós o ignoramos. Achamos que não é suficiente, ou dizemos: “Eu não tenho tempo para essas coisas”.

Nós achamos que, enquanto esta respiração estiver indo e vindo, ela deverá continuar, e não haverá um final para isso. Desculpe, mas haverá. E a humildade que isso suscitará é surpreendente. Não é como um martelo caindo. É um delicado limite. Um dia, eu terei que partir. Quando isso acontecer, o valor deste tempo, desta vida, desta respiração se tornará claro.

Não se resume ao início ou ao final da vida. É aquele dia, aquele minuto, aquele segundo em que você é tocado pela alegria pura, pela realidade pura, que acompanha você 24 horas por dia, e que nunca o abandona. Aonde quer que vá, quem quer que você seja, o presente continua vindo. Tudo o que você tem que fazer para se ajustar é aceitá-lo. Isso é tudo. Você não tem que estimulá-lo, reformulá-lo, purificá-lo ou enquadrá-lo.

Você sabe qual é a maior forma de devoção? É a aceitação. Nessa aceitação, nesse entendimento, a clareza começa a despontar, sem confusão. A clareza vem com a alegria. Essas coisas são complementares. Clareza é ligada à alegria, não à confusão. Confusão surge com a dúvida, a raiva, o medo – todas as coisas de que não gostamos e das quais não sabemos como nos livrar.

O que está sendo oferecido não é sentir essa alegria só por um instante – o que já seria suficiente –, mas sentir isso toda vez que você quiser. Não há dúvida de que, sempre que você se volta para dentro – seja essa sua última respiração ou não –, você será recompensado com a alegria, com a paz.

O que você quer? Olhe para seu coração. Ele não mudou. Você talvez tenha envelhecido, mas seu coração permanece o mesmo. O que você queria quando era bem pequeno continua desejando hoje. E não são os brinquedos. É a alegria de estar vivo – de despertar, de querer isso, de agarrar isso, de sinceramente aceitar isso.

Eu quero que você experimente em sua vida esse sentimento de plenitude. É isso. Não estou aqui para confundi-lo ou para lhe dizer que é inútil tudo o que você sabe. Não estou aqui para dizer que você deveria ou não seguir uma religião. Faça o que tiver que fazer. Mas, de todas as coisas que você faz em sua vida, inclua essa também: sinta-se pleno. E, entre tantas coisas que faz, tente o seguinte: aceite o presente que tem sido oferecido a você de forma tão abundante.

Aceite a respiração. No dia em que aceitar, será o ato de devoção mais incrível que você já praticou. Seu coração vai instantaneamente se encher de gratidão. E quando seu coração estiver cheio de gratidão, não haverá paraíso maior na face desta Terra. O tempo pára; as preocupações se vão. O coração fica repleto de gratidão. O coração é o máximo. Ele levará você de volta para sua casa.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Pensamentos positivos

Viva uma nova realidade. Se sua vida continua a mesma é porque você ainda não explorou as forças interiores que estão em você para vivenciar essa nova vida. Se você ainda espera que algo ou alguém a salve de todos os problemas que criou em sua vida, esqueça, ninguém aparecerá para salvá-la. O trabalho é seu, todo seu. Esse é o grande aprendizado para sua nova vida - você precisa apropriar-se de si mesma, aprender a conectar-se com a Energia Divina. Precisa urgentemente crescer, sair da condição de vítima desorientada e se apropriar da condição de fazedora de seu destino.
Consoante o seu modo de pensar assim será a sua vida. Encha a mente de novos pensamentos criadores, pensamentos de fé, amor e bondade.Procure descobrir em cada pessoa que encontrar na sua vida, uma qualidade apreciável. Você poderá sentir-se melhor neste encontro.Sorria. O sorriso ajuda-nos a descobrir motivos de alegria em volta de nós. Nossa alegria contagia os outros e a vida fica melhor.Descubra a cada dia um motivo novo para gostar de viver.Como diz a canção: Cada ser em si carrega o dom de ser capaz de ser feliz... E cada um de nós compõe a sua própria história.Lembre-se: Você se movimenta em direção àquilo em que pensa constantemente.Nossos pensamentos, nossas decisões, nosso querer determinam nosso “destino”.Adquire-se o pior quadro se pensa e espera o pior adquire-se o melhor quadro se pensa e espera o melhor. Ao iniciarmos um empreendimento duvidoso, nossa fé e pensamento positivo são as únicas coisas que asseguram o bom êxito dele. Lance o seu coração (seus pensamentos bons) sobre um projeto (um trabalho) que o seu corpo o acompanhará. O que a gente tiver em nosso coração é o que a gente vai receber. A pessoa confiante em si, positiva e otimista e que empreende o seu trabalho com a segurança de que será coroada de êxito, magnetiza a sua condição. Atrai para si as forças criadoras do universo. Se eu ver (pensar) você como minha colaboradora ou minha amiga, vou experimentar emoções calorosas e positivas ao encontrá-la. Se eu a ver (pensar) como minha rival ou inimiga vou experimentar emoções negativas.Os fatos não mudam, mas a mudança de pensamentos sobre a realidade traz mudança de atitudes diante dos fatos. Se você impregnar seu inconsciente de coisas (pensamentos) boas, é isso que ele lhe devolverá, é otimismo e não preocupações. Não se deixe afetar pelo que os outros pensam de você. Acaso a rocha se importa com o que o vento pensa dela? A rocha apenas continua sendo aquilo que é. Você estando bem com você mesma produz bons resultados. Faça boas ações (poder das ações positivas), bons resultados que a auto-estima melhora. A resposta certa para qualquer problema muda a cada dia, porque o problema, em si, também está sempre mudando. Admitir (reconhecer) um erro é um grande aprendizado e viabiliza a sua correção, é admitir nosso potencial para a grandeza. Quando se sentir desanimada anime outras pessoas. Ao ajudar os outros, você descobrirá que na verdade ajudou a si mesma. Desfralde sua bandeira com o nome: Otimismo e realização. Meu lema é vencer e vencer..., Você tem dentro de si a fonte de tudo, portanto, a realização não é nada mais do que o efeito da sua própria causa. Sempre chega aonde quiser pensa que lá chegará. Acredite em si. Engate a mente na sua boa estrela e reconheça que a sua luz interior a conduzirá sempre para cima e para frente. O homem é aquilo que ele acredita.” (Anton Tchecon)”

Este é o momento de decidir, não cabe mais nenhum tipo de lamentação. Não se permita mais o papel de vítima. Hoje você dispõe de técnicas, informações, vários tipos de terapias específicas para conseguir sair da condição que tem se encontrado por toda sua vida. O momento é de mudanças, mas elas dependem apenas de você. Decida-se e abra-se para as novas energias.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Reconhecimento


Às vezes, para que possamos reconhecer o valor dos tesouros que possuímos, é preciso que alguém nos abra os olhos. E isso não acontece somente com relação aos bens materiais, mas também no campo afetivo. Talvez motivados pela rotina ou pela acomodação, passamos a observar apenas as manias ou os pequenos defeitos daqueles que convivem conosco, esquecendo-nos das qualidades boas que eles possuem. Tenhamos, nós mesmos, olhos de ver, ouvidos de ouvir e sensibilidade para sentir as boas qualidades e as virtudes daqueles que nos seguem mais de perto. Você sabia? Você sabia que há pessoas que nem sempre conseguem demonstrar seus verdadeiros sentimentos? Talvez por medo de uma decepção ou por timidez, escondem-se atrás de uma couraça de proteção que as faz sentir-se mais seguras. E essa forma de isolar-se, muitas vezes pode aparecer disfarçada de agressividade ou de comportamento anti-social. É por essa razão que precisamos desenvolver nossa capacidade de penetrar os sentimentos das pessoas, um pouco além das aparências. Certa vez duas pessoas seguiam passo lento, cadenciado. Mãos dadas. As cabeças nevadas e a lentidão do passo lhes denunciavam a idade avançada. Um homem. Uma mulher. Um casal de idosos. De mãos dadas, enamorados. As mãos seguravam firme, como a dizer que um se constituía no apoio do outro. Assim no físico, assim no afeto. O segredo dessa união sólida? O amor. Só o amor tem o poder de atravessar os anos e se tornar mais intenso. Só ele pode enfrentar com dignidade o encarquilhar das mãos, o aparecimento das rugas, o andar mais demorado. Somente ele, porque possui lentes especiais, que transcendem o físico e alcançam a alma. Relação assim regida prossegue para além da vida corpórea. Um parte como flor que fenece ao vento gélido e fica aguardando o outro. Enquanto espera o amado, a sua é a tarefa de amparar, zelar pelo que ficou nas estradas do mundo. Nas noites solidão, fala-lhe à intimidade do logo mais e insufla-lhe coragem para não se abater ante os percalços que lhe faltam vencer. Aguarda-o, no mundo espiritual, como o noivo espera a amada, em dia festivo. E quando finalmente chega o dia da partida, prepara-lhe a chegada e o retoma nos braços em suave amplexo demonstrando que o amor vence a dor, o sofrimento e a morte. Muitas almas que assim se amam, na terra, intensamente, retornam mais tarde, em nova roupagem, novamente unidos e porque amam verdadeiramente, unem-se outra vez para idealizar grandes coisas a bem da comunidade. É desta forma que encontramos casais unidos na ciência, na arte, na devoção ao semelhante, doando-se muito além do dever. Tendo vivido o amor na sua essência mais profunda aprenderam que quanto mais ele se divide, mais se multiplica. Nunca perca a sua auto-estima, conte consigo próprio e se valorize. Como diz o trecho daquela música: "Começar de novo e contar comigo, vai valer a pena ter amanhecido..."

domingo, 14 de setembro de 2008

Deficiências Humanas

"Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino."Louco" é quem não procura ser feliz com o que possui."Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria. E só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores."Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês."Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia."Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda."Diabético" é quem não consegue ser doce."Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer.E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois "Miseráveis" são todos que não conseguem falar com Deus. (Mário Quintana)

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Sonhe um sonho lindo

“Sonhe um lindo sonho. O dia de amanhã à Deus pertence. Mas pode ser nosso, pode ser meu, dele... pode ser seu!
Sofrer por antecipação é um grande erro de imaginação. É castigar a alma... ferir o coração.
Viva o “agora”, deixe o “depois” para outra hora. Olhe para o futuro com olhos de esperança, realização; com a ternura de criança... E paz no coração. Espere do futuro as melhores coisas, as melhores oportunidades.
Um sonhar, tem uma infinita variedade de cores, mescladas de alegria e felicidade. Os melhores caminhos, não são apenas aqueles que têm flores, podem conter muitos espinhos. Contudo, seja perseverante. Sonhe e siga avante.As pedras que surgirão, certamente serão transpostas com alegria. Mas não se esqueça, num sonhar também existe nostalgia.
Confie em Deus, confiando em si mesmo, pois Ele estáem seu coração. Depois de sonhar, entregue seus sonhos à Ele, em elevada oração. Busque a realização dos seus sonhos. O universo conspira a favor dos sonhadores. Só não sonham, os pessimistas, os perdedores. Sonhe com a primavera, com uma flor. Sonhe com a paz, com a esperança, sonhe como uma criança. Sonhe com o amigo, sonhe comigo... sonhe com o amor.”

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Direção ao Sol (Paulo Roberto Gaefke)

Tome a tua vida em tuas mãos, e não entregue a direção dela a ninguém. Por mais que te amem, por mais que desejem, o teu bem, só você é capaz de sentir o que realmente sente, e aquilo que você passa de impressão para os outros, nem sempre corresponde ao que vai na sua alma. Quantas vezes você já sorriu para disfarçar uma lágrima teimosa? Quantas vezes quis gritar e sufocou o pranto? Quantas vezes quis sair correndo de algum lugar e ficou por educação, respeito ou medo? Quantas vezes desejou apenas um beijo, e ficou com a boca seca esperando o que não veio? Quantas vezes tudo o que você desejou era apenas um abraço. Um consolo, uma palavra amiga e só recebeu ingratidão? Quantos passos foram necessários para chegar até onde você chegou? Quantos sabem dar o valor que você realmente merece? Criticar é fácil, mas usar o seu sapato ninguém quer, vestir as suas dores ninguém quer, saber dos seus problemas, só se for por curiosidade, por isso, não entregue a sua vida nas mãos de ninguém,nada de acreditar que sem essa ou aquela pessoa, você não vai viver... Vai viver sim, o mundo continua girando, e se você deixar, pode te trazer algo muito melhor. Pegue a direção da sua vida e aponte rumo ao Sul, lá onde a placa diz "caminho do sol", bem na curva da felicidade, que te espera sem pressa, para viver com amor e intensidade, a paz, a harmonia e a felicidade !!!!!!!

terça-feira, 9 de setembro de 2008

A esperança


sábado, 6 de setembro de 2008

Pessoa certa

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Sente-se




quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Força ou Coragem

Muitas vezes na vida, não sabemos avaliar o que realmente necessitamos: se força ou coragem... Há momentos em que precisamos das duas!
Veja só:

É preciso ter força para ser firme, mas é preciso coragem para ser gentil... É preciso força para se defender, mas é preciso coragem para não revidar... É preciso ter força para ganhar uma guerra, mas é preciso coragem para não se render.

É preciso ter força para estar certo, mas é preciso coragem para admitir a dúvida ou o erro.

É preciso ter força para sentir a dor de um amigo, mas é preciso coragem para sentir as próprias dores.

É preciso ter força para esconder os próprios males, mas é preciso coragem para demonstrá-los.

É preciso ter força para fazer tudo sozinho, mas é preciso coragem para pedir ajuda.

Parece fácil... Experimenta!

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Superioridade

O ser humano julga-se superior às demais criaturas.
Por que pensa assim?
Talvez porque Deus lhe deu o livre arbítrio. Todavia, ele não o usa para fazer uma análise mais profunda. Não percebe que a abelha produz mel, não usufrui dele e o entrega gratuitamente ao ser humano. Este, por acaso, faz algo em favor de seu semelhante. Eis a análise que deve ser feita. Há centenas de pessoas que fazem como a abelha. Dê, se ainda não o fazes, o mel de teu coração, isto é, tua caridade.

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Um amor de viúva


Nós geralmente não pensamos na possibilidade de viver sozinhos, especialmente quando estamos casados. Contudo, sabemos que ninguém nasceu para viver eternamente e, certamente, um dia, um dos cônjuges partirá e o outro passará a viver um estado de vida, que chegará de repente, sem ao menos lhe dar opção de escolha: A viuvez.
Algumas pessoas – após o convívio com o cônjuge partilhando alegrias, dificuldades e desafios, vivendo os mesmos objetivos – nos dão a impressão de que o tempo de vida comum a dois as fez viver quase que como “siamesas”. Essas pessoas não conseguem se imaginar sozinhas. Embora
tendo ainda filhos por perto, o viúvo nem sempre conseguirá derrotar a solidão, a qual muitos não desejam ter como parceira de vida. O desejo de ter alguém para conversar ou partilhar coisas comuns do dia-a-dia – o que é trivial na vida conjugal – fará com que o viúvo aspire a partilhar seus dias com outra pessoa. E decidir-se por viver um novo amor parece ser uma experiência tão desafiante quanto foi aquele momento de conquistar a primeira namorada.
A maturidade nos dá certeza sobre aquilo que buscamos. Mas quando seria o melhor momento para se dispor a viver um novo relacionamento após a viuvez? E como trabalhar com o ciúme dos filhos ao verem o pai ou a mãe inclinada a viver o namoro? Os amigos podem opinar e, como sempre, alguns serão contra e outros, a favor. Mas, assim como não há um programa pré-definido para o coração de um jovem começar a se apaixonar, a recíproca é verdadeira para os viúvos, que maduros na experiência de vida a dois, ou até mesmo com filhos crescidos, desejam voltar a viver a partilha de seus sentimentos.
Algumas pessoas levam anos para se decidir a viver
um novo amor, outras, meses e algumas preferem, por opção, continuar vivendo seu estado de viuvez.
Namorar alguém para substituir o amor da pessoa falecida, por quem ainda nos sentimos apaixonados, não parece ser a solução mais fácil. Da mesma forma, se alguém busca encontrar no namoro uma pessoa que venha a ocupar a lacuna deixada pelo (a) falecido (a), certamente não conseguirá viver a plenitude desse relacionamento.
Cada pessoa é única em si e com cada uma delas com as quais convivemos temos experiências próprias e únicas. Dessa maneira, acredito que a experiência com uma nova pessoa somente para curar as dores da perda, utilizá-la como “curativo”
para o coração “partido”, ou fazer do namoro uma sessão de terapia, não será a solução perfeita. Pois qual namorado suportaria ouvir a namorada falar por horas a fio sobre o ex-namorado?
A vivência do namoro oferece aos jovens, adultos e viúvos a oportunidade de viver a chance de abrir o coração para um novo amor, mesmo que já tenham vivido parte da vida casados com uma outra pessoa.
Ter a certeza e o conhecimento de que se deseja viver um novo namoro com alguém que poderá se tornar seu cônjuge no futuro, imagino ser objeto principal na tomada de decisão. Assim, o viúvo apaixonado, tal como os filhos, não devem ver a namorada como uma “estepe” que veio substituir o lugar da falecida, mas uma nova pessoa, com a qual, juntos, poderão construir uma nova vida conjugal e familiar.